• Tânia Bischoff

A História para os Próprios Fins

Conheci Ricardo Bruno Flor, Doutor em História pela PUCRS, e fiquei entusiasmada com a sua capacidade de ser um historiador que realiza pesquisas sob outras perspectivas, em que alguns fatos que o homem cria falam muito mais do que contar histórias de grandes líderes. Com ele, entendo que a história é feita pela humanidade, ou seja, por nós.


Evidente que esta constatação, neste momento que o mundo está vivendo, é uma potência que instiga a ter a exata noção do compromisso e responsabilidade que temos para as coisas que vivemos em nosso cotidiano. 


Precisamos urgentemente entrar em nosso mundo para fazermos o que nos cabe e que nos é possível.

A partir do curso que ele ministrou nos dias 13 e 15 de setembro com o tema “Pesquisando História para os próprios fins” que esta ficha caiu.


Posso pesquisar o que eu quiser, o que faz sentido em mim.

Quando pesquiso a história, muitas vezes escrevo sobre o que já foi pesquisado e estudado pelo outro. Nem sempre acesso aos dados do campo da pesquisa. Ou seja, a história que conheço é partir de uma perspectiva.


Não é filosofia, mas sim compreender que, em nossas práticas como profissionais das humanas, todo o dado que acessamos é um dado vivido e sentido por um outro. Quando acesso esse dado, terei uma relação histórica na perspectiva do meu eu. E são diversas as possibilidades dessa história ser contatada. 


Mas o fato em si existe, ele aconteceu e acontece. E pode ser pesquisado de diferentes formas. Ricardo Bruno Flor, obrigada pela jornada possível que posso fazer da história.

4 visualizações

©2019 TÂNIA BISCHOFF por YOW.